Janeiro 11

Etiquetas

Shakespeare inventou quase 1800 novas palavras

‘A linguagem de Shakespeare é primordial na sua arte e é exuberante. Sentia profundamente o impulso de cunhar novas palavras, e nunca deixa de me surpreender o facto de ele ter utilizado mais de vinte e uma mil palavras diferentes. Destas, inventou cerca de uma em cada doze: quase mil e oitocentos novos registos, muitos dos quais são agora de uso comum. Racine, que praticou de forma soberba uma arte antitética da de Shakespeare, usou duas mil palavras, poucas mais do que as que este inventou.’

 

Harold Bloom, in Génio – Os 100 autores mais criativos da história da literatura (Temas e Debates)