Janeiro 24

Etiquetas

Se trocasse as horas gastas nas redes sociais por livros, quantos lia por ano?

facebook-social-network-app-smartphone

‘Warren Buffet diz que a chave do sucesso é “ler 500 páginas por dia”. Pode parecer muito, mas não. Basta saber como quer aproveitar o tempo livre.

Se substituísse o tempo que passa por ano nas redes sociais pela literatura, sabe quantos livros iria ler ao fim de 12 meses? Cerca de 200. Pode parecer impossível, mas a matemática comprova-o. Certamente já ouviu falar num dos hábitos comuns entre os mais bem sucedidos no mundo: A leitura. Veja-se, por exemplo, Warren Buffet, conhecido como ‘o Evangelho do Dinheiro’. Numa entrevista, o jornalista perguntou-lhe qual era a chave do sucesso. O CEO da Berkshire Hathaway foi perentório: “Ler 500 páginas por dia”. E ainda acrescentou: “É assim que o conhecimento funciona. Vai-se construindo. Qualquer um de nós o pode fazer, mas não garanto que todos o consigam.

É natural que a primeira reação à sugestão de ler 500 páginas por dia possa parecer tarefa de herói, mas não seria preciso grande esforço. Vejam-se os dados e façam-se as contas. De acordo com estudos realizados nos Estados Unidos, um norte-americano lê, em média, entre 200 a 400 palavras por minuto. Um livro de não-ficção tem, em média, cerca de 50 mil palavras.

200 livros x 50 mil palavras por livro = 10 milhões de palavras 10 milhões de palavras / 400 palavras por minuto = 25 mil minutos 25 mil minutos / 60 minutos = 417 horas

Feitas as contas, sabemos desde já que seriam precisas cerca de 417 horas para ler 200 livros. É muito? Não, se considerarmos que o mesmo cidadão norte-americano passa, em média, 608 horas por ano nas redes sociais e outras 1642 horas em frente à televisão. Ao todo, são 2250 horas passadas no mundo do entretenimento. Tudo se resume às escolhas que fazemos sobre o uso que queremos dar ao tempo que temos disponível. Mas há maneiras de se conseguir incentivar a ler. Os benefícios da leitura Estudos sobre o impacto da leitura na nossa vida não faltam: Há quem diga que o torna mais inteligente, como escreveu o psicólogo Keith Stanovich no site bibliográfico do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos. Há também provas de que a leitura o torna emocionalmente mais esperto, isto é, potencia a sua capacidade em ter empatia e inteligência emocional, como comprovaram estudos publicados na Public Library of Science, Journal of Research in Personality, European Journal of Communication Research e ainda na Science Magazine.

Por fim, ler ajuda a manter a sua mente em forma. Um outro estudo, este publicado no Journal of American Academy of Neurology, diz que a leitura ajuda a estimular a memória e a eliminar casos de lapsos, esquecimentos ou falta de memória. Como ganhar o hábito O grande fator que irá ditar o seu sucesso ou fracasso na decisão de cumprir ou não com o objetivo de ler mais é a força de vontade, mas sabemos que essa tende a falhar quando mais precisamos dela. O que pode fazer é ir construindo uma rotina que, inicialmente, deve começar por ler menos páginas, mas com mais atenção. À medida que for mantendo esse hábito, este tornar-se-à quase natural e a sua vontade por ler mais irá também aumentar. Faça também mudanças como, por exemplo, ter um conjunto de livros sempre à mão na divisão da casa onde passa mais tempo, seja no escritório, no quarto ou na sala. Assim torna-se mais fácil escolher um e começar a lê-lo. Opções não faltam Nos tempos modernos como são os de hoje, os livros não se resumem ‘aos calhamaços’. Há grandes e pequenos, de todo o tipo de temas e em diferentes formatos. Hoje em dia já é possível ler um livro no telemóvel, ouvir audiobooks, descarregar o livro em formato digital ou fazê-lo da maneira mais convencional, isto é, tê-lo na mão. Aproveite o tempo que tem disponível e não coloque entraves à própria mudança.’

Artigo publicado no Dinheiro Vivo.