Setembro 04

Diário inédito de Saramago na ‘rentrée’ da Porto Editora

15316093_770x433_acf_cropped

Um diário inédito de José Saramago, do ano em que ganhou o Prémio Nobel, um novo romance de Richard Zimler e o segundo volume das memórias de Cavaco Silva são algumas das novidades da Porto Editora. Quando se celebram 20 anos da atribuição do Nobel da Literatura a José Saramago, a Porto Editora vai publicar o “Último caderno de Lanzarote”, um diário inédito do autor, descoberto casualmente por Pilar del Rio, correspondente a 1998, ano em que o escritor foi galardoado, anunciou esta quinta-feira a editora, numa apresentação aos jornalistas, que teve lugar na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa.

A Porto Editora lança simultaneamente “Um país levantado em alegria”, livro de Ricardo Viel que relata os bastidores da atribuição do prémio Nobel. O editor Manuel Alberto Valente anunciou ainda o lançamento de um novo romance de Richard Zimler, “Os dez espelhos de Benjamin Zarco”, assim como a publicação do segundo volume das memórias do antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva, “Quinta-feira e outros dias”.

Também pela Porto Editora, Cláudia Gomes salientou a aposta na “estreia-sensação” da australiana Holly Ringland, com um romance intitulado “As flores perdidas de Alice Hart”. No que respeita à não-ficção, a Porto Editora vai lançar “O que aprendi com Bob”, um novo livro da série de histórias da amizade entre um homem, James Bowen (o autor), e um gato que adotou.

A apresentação do livro em Portugal contará com a presença do autor e deste “famoso gato”, avança a editora. “Próximo Destino”, um guia para viagens de sonho em formato ‘low cost’, escrito pelos autores do premiado blogue Viajar entre Viagens é outro dos destaques da Porto Editora na área da não-ficção.

Na Sextante Editora, João Rodrigues realçou a ficção estrangeira, com a publicação de “Lembranças Adormecidas”, o novo romance de Patrick Modiano, Nobel da Literatura de 2014. Já na chancela Livros do Brasil, São José Sousa destacou “Brincadeira e Divertimento”, livro que consagrou o escritor norte-americano James Salter — de quem a mesma editora já publicou outros dois livros – como “um dos grandes estilistas da prosa do nosso tempo”.

A poesia vai estar igualmente em grande destaque, na Assírio e Alvim, com o lançamento, até ao final do ano, do primeiro de três volumes da obra poética de António Ramos Rosa, e da poesia reunida de António Botto.

 

Via Jornal Observador