Ler faz crescer

ilustração de claire keay, fonte

Numa altura em que se consome cada vez mais informação a grande velocidade e por diferentes meios, incutir hábitos de leitura torna-se uma tarefa de importância acrescida, na vida dos pais e das crianças.

Miguel Sousa Tavares, numa entrevista ao Diário de Notícias em 2010, reforça a ideia de que nunca foi tão importante haver boa literatura infantil, porque as crianças são atraídas por milhares de coisas mais fáceis, instantâneas e baratas que o livro, confirmando que com boa literatura infantil, defende-se o livro.

A verdade é que não se defende apenas o livro, mas também a criança. São vários os estudos que relacionam os hábitos de leitura com a participação de um indivíduo na sociedade, como indica Jean Foucambert ao referir que aprender a ler é entrar num novo modo de elaborar a experiência, daí a sua importância e dificuldade(fonte).

Um estudo realizado em abril de 2019, pelo Expresso, em parceria com o Plano Nacional de Leitura (PNL) e a McDonald’s, menciona que 88% dos pais inquiridos reconhecem que a leitura tem um impacto direto no aumento do rendimento escolar dos filhos, um valor que contrasta com os apenas 8% das crianças que assumem a leitura como a sua atividade preferida.

Os hábitos de leitura, ainda que devam ser estimulados através da escola, também não podem ser descurados em casa. Os pais são os verdadeiros influenciadores. São eles que muitas vezes provocam o ponto de inflexão nas suas crianças, explica o Ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Os resultados, só por si, dizem tudo: mais concentração, mais imaginação e criatividade e até um maior desenvolvimento do vocabulário e interpretação na criança.

Concordar não chega. É também preciso agir. Deixamos-lhe 5 sugestões que o podem ajudar a incentivar o gosto pela leitura nos seus filhos.

1. Contar histórias desde cedo

Habituar as crianças a ouvir histórias desde pequenas é o primeiro passo para as agarrar aos livros, e qualquer livrólico que passou por isso na infância pode concordar connosco. Não só cria uma relação familiar mais íntima, como transforma esse momento em algo mágico, dedicado à imaginação.

Desde livros de pequenos contos, com muitas imagens, a verdadeiras histórias repletas de aventura e fantasia, comece uma rotina com os seus filhos que será cada vez mais desejada por eles.

2. Dar o exemplo

O estudo do Expresso, do PNL e da McDonald’s concluiu que “entre os pais com hábitos de leitura, 71% dos filhos também lêem regularmente”. E porque os pequeninos têm o hábito de imitar os pais, nada melhor do que incutir os hábitos de leitura também na sua rotina.

Porque não instituir uma hora para se ler em família? Da mesma maneira que há tempo para jogos em família, também haverá certamente para a leitura. 

3. Ler o que quiserem

Quanto mais os livros fizerem parte da vida da criança, melhor. Não tente forçar certas obras que não se enquadram no dia-a-dia e gosto dos seus filhos. A literatura infantil deve ser pedagógica, sim, mas também é importante dar espaço à criança para se divertir com as suas personagens e heróis favoritos. 

Acima de tudo, a literatura deve ser estimulante, imaginativa, criativa e provocante. Não tardará até que sejam os mais pequeninos a pedir-lhe a próxima história. 

4. Motivar a criança a ser o narrador

No caso de a criança já saber ler, deixe-a tomar controlo da situação e terminar a história. Podem alternar ao interpretar várias personagens, numa espécie de conto-teatro que vai entreter e fomentar a sua participação e concentração. 

Se, no entanto, o seu rebento ainda não souber ler, isso não tem que ser um problema. Se for uma história que já é repetida e adorada entre pais e filhos, a criança pode “narrar” a sua versão. O resultado? Uma imaginação muito fértil, a saudade de um bom momento que vai marcar uma infância e, quem sabe, as bases para um futuro escritor. 

5. Usar as novas tecnologias para seu benefício

As novas tecnologias não têm de ser um bicho de sete cabeças. Há benefícios que podem ajudar os seus filhos a criar uma relação saudável com tablets e computadores.

Não descurando o papel, que continua a ser o preferido de 94% das crianças portuguesas, já existem eBooks de literatura infantil, que vão dispensar uma mochila particularmente pesada, ao mesmo tempo que passa a haver uma utilização mais consciente dos meios tecnológicos contemporâneos à disposição. 

Sugestões de livros infantis
Sónia Rodrigues Pinto
Sónia Rodrigues Pinto
Coordenação Editorial: Marisa Sousa