Junho 03

Os miúdos foram a votos e escolheram os ‘livros mais fixes’

Não Abras Este Livro, Avozinha Gangster e a saga incontornável de Harry Potter são alguns dos livros favoritos dos alunos do ensino básico e secundário, que participaram numa eleição nacional denominada “Miúdos a Votos: Quais os livros mais fixes?”, uma iniciativa da Rede de Bibliotecas Escolares e da Visão Júnior.

Com a participação de 473 escolas, uma das quais em Angola, outra em Moçambique e duas em França, os vencedores foram anunciados após a votação de 78 382 alunos. Os alunos mais novos, do primeiro ciclo, foram os que mais se mobilizaram para votar, tendo contribuído com mais de 33 mil votos. 

Por outro lado, obtiveram-se 22 479 votos do segundo ciclo, 19 229 do terceiro ciclo e apenas 2 941 eleitores no ensino secundário. 

Esta terceira edição levou a votos 70 obras, escolhidas pelos próprios alunos, que teve uma espécie de eleições primárias, onde mais de 22 mil pessoas apresentaram, “de forma absolutamente espontânea e livre”, o seu livro candidato.

Afinal, quais são os livros preferidos dos alunos portugueses?

Entre os alunos mais novos, os livros preferidos são Não abras este livro (13,9%), de Andy Lee, O Diário de um Banana (13,5%), de Jeff Kinney e Cuquedo (9,3%), de Clara Cunha.

No segundo ciclo, a grande vencedora foi Avozinha Gangster (16,2%), de David Walliams, seguida dos primeiros dois livros de J. K. Rowling, Harry Potter e a Pedra Filosofal (8%) e Harry Potter e a Câmara dos Segredos (7,3%).

A saga de Harry Potter continua em destaque para os alunos do 3º ciclo, que elegeram Harry Potter e a Pedra Filosofal como o seu favorito, com 14,8% dos votos, seguindo-se dois livros com uma mensagem poderosa e marcante: Diário de Anne Frank (14,4%) e O Rapaz do Pijama às Riscas (12,6%).

Por outro lado, o ensino secundário, que participa pela primeira vez no evento, destaca A Culpa é das Estrelas, de John Green, como o favorito de 20% dos votantes. A Rapariga que Roubava Livros e novamente Diário de Anne Frank foram as outras duas obras preferidas, com 16,2% e 14,1% dos votos, respectivamente.

Ainda que o objetivo principal do “Miúdos a Votos” seja escolher os livros favoritos, acaba também por ser uma forma de aproximar os mais jovens dos métodos de eleição e processos democráticos. Além da “promoção da leitura e aproximação ao objeto livro”, é também uma forma de “aumentar a literacia para os métodos de eleição e processos democráticos”, sublinhou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues.

Deste modo, crianças e jovens passam a “entender verdadeiramente os métodos de eleição e o que é isso de votar“, bem como o porquê de existirem eleições.