Poeta catalão Joan Margarit vence Prémio Cervantes 2019

BALLESTEROS / EFE

O poeta catalão Joan Margarit foi galardoado com o Prémio Cervantes 2019, o mais importante da literatura espanhola,  no valor de 125 mil euros. O galardão foi anunciado na passada quinta-feira pelo ministro espanhol da Cultura, José Guirao, que elogiou “a profunda transcendência da escrita” do autor, cuja obra enriqueceu tanto a língua espanhola como a catalã.

Nascido em plena guerra civil espanhola, em 1938, na Sanaüja, província de Lérida, Margarit é também arquitecto e professor – foi o autor dos cálculos de estrutura da catedral Sagrada Família. O poeta foi, também, galardoado com o Prémio Rainha Sofia de Poesia Iberoamericana e recebeu, entre outros, o Prémio Nacional de Poesia, Rosalía de Castro e Jaume Fuster.

No ano passado, o galardão foi atribuído à poeta uruguaia Ida Vitale, que presidiu ao júri de 2019 e admitiu não conhecer a obra de Joan Margarit.

NURPHOTO / GETTY IMAGES
Poesia que não precisa de traduções

“Ninguém pode duvidar da extraordinária qualidade poética de Joan Margarit”, assegurou o ministro espanhol da Cultura. Na sua obra, o Prémio Cervantes 2019 usa a poesia para transmitir o seu pensamento, vida e ética, com poemas que enaltecem a beleza das relações humanas.

Margarit sempre se destacou pela defesa pública do catalão, “a única língua ou uma das poucas línguas cultas sem Estado”. Para ele, nunca se trata de dois poemas em línguas diferentes, uma vez que o castelhano não é uma simples tradução do catalão. “Nasci no seio da guerra e a vida leva-nos a ter a nossa personalidade e convicções. Fiz a minha obra em dois idiomas: não me traduzi. Às vezes o castelhano salva o catalão e vice-versa.”

A entrega do prémio ocorrerá dia 23 de abril de 2020, em Madrid, na Universidade de Alcalá de Henares.

Sónia Rodrigues Pinto
Sónia Rodrigues Pinto
Coordenação Editorial: Marisa Sousa