Djaimilia Pereira de Almeida Dezembro 05

Djaimilia Pereira de Almeida vence Prémio Oceanos 2019

Djaimilia Pereira de Almeida
Foto: Ana Branco / Agência O Globo

Djaimilia Pereira de Almeida é a vencedora do Oceanos – Prémio de Literatura em Língua Portuguesa de 2019, com o romance Luanda, Lisboa, Paraíso, publicado em 2018. O anúncio foi feito durante a manhã desta quinta-feira, em São Paulo.

Em segundo e terceiro lugar ficaram, respetivamente, Dulce Maria Cardoso, com a obra Eliete, e a autora brasileira Nara Vidal, com Sorte. Entre os restantes finalistas, figuram grandes nomes da literatura como Pepetela, João Tordo e José Gardeazabal

O júri foi constituído pelos críticos literários Eliane Robert Moraes e Ítalo Moriconi, pelas escritoras Maria Esther Maciel e Veronica Stigger, do Brasil; pela jornalista Ana Sousa Dias, pelo poeta Daniel Jonas e pelo crítico literário Manuel Frias Martins, de Portugal; e pelo crítico literário Francisco Noa, de Moçambique. Segundo o jornal Estadão, o júri destacou que, entre os títulos selecionados, “figuram sobretudo narrativas que tratam dos temas da desterritorialização, da inquietação existencial e da sexualidade”.

Djaimilia é a quinta portuguesa a vencer o galardão, ao lado de nomes como Gonçalo M. Tavares, Valter Hugo Mãe, José Luís Peixoto e Ana Teresa Pereira

Autora de destaque em 2019

Luanda, Lisboa, Paraíso aborda a vida de Cartola de Sousa e Aquiles, pai e filho, que viajam para Lisboa, por volta de 1980, deixando para trás Glória, a mãe doente e imobilizada na cama, entregue aos cuidados da filha, Justina. O título do livro traça o percurso feito por pai e filho, numa viagem sem retorno, começando em Luanda, viajam para Lisboa, ficando a viver numa pensão para, mais tarde, acabarem a viver no Paraíso, um bairro da lata na margem sul do Tejo.

Segundo o jornal Público, a escritora portuguesa enviou uma mensagem de agradecimento em vídeo. Para além de ter considerado importante ver o seu livro reconhecido no meio de um conjunto de livros e de escritores que admira, ficou também particularmente feliz por a sua obra ter sido distinguida a par de obras de outras duas mulheres.

A autora tem vindo a ser reconhecida pela sua escrita desde o seu primeiro romance, Esse cabelo, tendo sido premiada, em 2016, com o Prémio Novos. Também no início deste ano, em março, recebeu o Prémio Literário Fundação Inês de Castro, com Luanda Lisboa Paraíso e, em agosto, voltou a ser galardoada com o Prémio Literário Eça de Queiroz.

A vencedora do prémio recebe 120 mil reais (27 mil euros), a segunda classificada 80 mil reais (18 mil euros) e a terceira 50 mil reais (11 mil euros). 

Luanda, Lisboa, Paraíso, de Djaimilia Pereira de Almeida

Chegados a Lisboa, Cartola e Aquiles descobrem-se pai e filho na desventura. Até que num vale emoldurado por um pinhal, nas margens da cidade mil vezes sonhada pelo velho Cartola, encontram abrigo e fazem um amigo. Será esta amizade capaz de os salvar? 

“Se o entendimento entre duas almas não muda o mundo, nenhuma ínfima parte do mundo é exactamente a mesma depois de duas almas se entenderem.” 

Este segundo romance de Djaimilia Pereira de Almeida, é o balanço tocante de três vidas obscuras, em que esperança e pessimismo, desperdício e redenção, surgem lado a lado.

Sónia Rodrigues Pinto
Sónia Rodrigues Pinto
Coordenação Editorial: Marisa Sousa