Janeiro 10

Tags

Os acumuladores de livros mais famosos do mundo

Marie Kondo, a escritora japonesa que ficou conhecida pela série Ordem na Casa com Marie Kondo, da Netflix, afirmou que não tem mais do que 30 livros em casa, sugerindo que lhe seguíssemos o exemplona eventualidade de termos vários livros por ler na nossa estante. Ainda assim, independentemente das sugestões de organização exímia, da autora de Arrume a sua casa, Arrume a sua vida, há quem continue a preferir quantidade em vez de minimalismo. Conheça alguns dos acumuladores de livros mais famosos.

Karl Lagerfeld
THE SELBY / O DESIGNER NO SEU ATELIER, EM PARIS
Karl Lagerfeld (300.000 livros)

Sim, leu bem. Foi no Festival Internacional de Moda e Fotografia, em 2015, que o designer alemão admitiu colecionar livros, não havendo muito espaço de sobra para outro tipo de decoração. São 300 mil livros, em inglês, alemão e francês, espalhados pelas várias divisões da casa. Para que houvesse mais espaço, o diretor criativo da Chanel e da Fendi, que faleceu em fevereiro de 2019, colocou os livros na horizontal, em vez de na vertical. 

Lucasfilm Research Library
I LOVE LIBRARIES / LUCASFILM LTD. & TM
George Lucas (27.000 livros)

Foi em 1978 que George Lucas  realizador cinematográfico conhecido mundialmente pela criação das sagas Star Wars e Indiana Jones – decidiu criar a Lucasfilm Research Library. A biblioteca encontrava-se, inicialmente, no seu escritório em Los Angeles, tendo sido, mais tarde, transferida para a sua casa principal em Skywalker Ranch, Califórnia.

Para além dos 27 mil livros, Lucas conta ainda com uma coleção de 17 mil filmes, juntamente com fotografias, jornais e comunicados de imprensa. Parece a junção de dois mundos, perfeita para amantes de cinema e literatura, não é? Infelizmente, a biblioteca não está aberta ao público, sendo apenas permitida a entrada de empregados ou convidados especiais, entre os quais já estiveram nomes como  Alfred Hitchcock, Cary Grant ou Clint Eastwood.

Jay Walker (20.000 livros)

Jay Walker é um empresário americano, conhecido pelo seu trabalho associado ao Walker Digital, um laboratório de pesquisa, focado em redes sociais, para a produção de novos sistemas de negócio. Paralelamente à sua profissão, Walker ficou conhecido pela Library of the History of Human Imagination (traduzido, em português, para Biblioteca da História da Imaginação Humana). 

Os mais de 20 mil livros estão divididos por três andares, acessíveis por uma escada em vidro. Nem vale a pena dizer muito mais, porque a beleza da biblioteca fala por si, no vídeo que partilhamos, disponível no site oficial do empresário.  

Ernest Hemingway (9.000 livros)

Para além da sua bem conhecida paixão por gatos, Ernest Hemingway não vivia sem os seus livros. O autor de O Velho e o Mar carregava a biblioteca para onde quer que fosse. Após a sua morte, a casa onde vivia, a Finca Vigía, em Cuba, continha mais de 9 mil volumes – um número que não incluía, sequer, os livros que deixou em Key West, na Flórida. Hemingway chegava a comprar entre 150 a 200 livros por ano. Só podemos sonhar e esperar chegar, um dia, a este nível. 

Harry Houdini (5.000 livros)

O famoso ilusionista americano, uma figura mítica devido aos seus espectáculos onde tentava libertar-se de algemas, cordas e tanques de água, era também um verdadeiro acumulador de livros, tendo uma coleção que rondava mais de 5 mil livros. 

As obras eram, na sua maioria, relacionadas com magia, teatro e até espiritualismo. De acordo com o site Lit Hub, várias fontes acreditam que Houdini tinha uma das maiores coleções de livros sobre magia e ilusionismo no mundo. Quando o artista morreu, ofereceu toda a sua coleção à Biblioteca do Congresso. Se tiver interesse, pode descobrir o seu espólio literário no site Library Thing

Fonte: Literary Hub
Sónia Rodrigues Pinto
Sónia Rodrigues Pinto
Coordenação Editorial: Marisa Sousa